Adicionem o novo domínio do blog aos seus favoritos! www.crashcomputer.com.br

   terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Lâmpadas. Tem algo errado!



PéssimoRuimMédioBomExcelente (7 votos, média: 5,00 de 5)

Porque eu acho que tem algo errado com lâmpadas? Vamos lá…

Precisei comprar umas lâmpadas mais fortinha hoje, tinha que ser algo (baseado em lâmpada CFL) maior do que 25W.

As opções são muitas, muitas marcas, muitos modelos, mas… poucos preços! Como a situação $$$ não anda boa pra ninguém a ordem é economizar até nos centavos. Nisso camelei a cidade atrás de preço de lâmpada.

Até que cheguei nisso aqui:

cfl_30w

Ao custo de… R$21,30! :-o

E foi no lugar mais barato até onde eu agüentei andar e ir atrás. Preço pra essa potencia de lâmpada chegou no lugar mais caro (por aqui) a R$38,00.

Opções LED, teria que ser algo de 12W pra cima pra ter a mesma intensidade luminosa. Mas o precinho… tudo mais de R$30,00 pra essa faixa de potencia.

Mas vem cá… não é muito dinheiro pra uma lâmpada? Porque eu digo isso? Uma incandescente de 100W custava em 2014 apenas R$1,49 conforme tá nesse cupom fiscal que eu tive que catar no site da nota fiscal paulista.

preco_incandescente

Estas lâmpadas custavam muito mais caras que as incandescentes, lembro que em casa foi um parto pra comprar a quantidade necessária para substituir as incandescente (mas tinha e tem até hoje, pontos que eu usei fluorescentes tubulares comuns). Uma coisa que eu não ouvi apenas uma ou duas vezes quando da crise do apagão em 2001, quando a ordem era economizar a todo custo, que as lâmpadas incandescentes eram as vilãs e tiveram de ser substituídas meio que “na marra” por lâmpadas CFL (conhecidas também como econômicas) , e o que se falava é que o custo iria cair com a popularização das mesmas.

Não é o que eu vejo! CFL ainda continua custando caro. As “usáveis” não saem hoje por menos de R$14,00 por aqui. Abaixo disso tem, mas a potencia luminosa é risível (CFL de 3 a 7W).

LED as mais baratas de 6W (que eu acho pouco) não sai por menos de R$18,00 nos lugares que olhei.

E eu já ouvi de vendedor quando pesquisei lâmpadas LED a uns meses atrás, que o preço deveria cair com a popularização das mesmas. Pelo visto não popularizou ou os lucros de quem quer que seja aumentaram. Aposto mais na segunda opção.

Não parei pra por na ponta do lápis a economia gerada por uma CFL e seu preço, comparado a uma incandescente. Mas aposto que a conta não seja muito favorável a CFL…

A gota d’água fica por conta das “novas” incandescente, que estão envelopando lâmpadas halógenas dentro de bulbos comuns, e o preço… disparou lá pra cima! :crazy:



  Seguir comentários via RSS

18 comentários em “Lâmpadas. Tem algo errado!

  1. Carlos Andrade disse:
    Usando Google Chrome Google Chrome 55.0.2883.87 - Windows Windows 7

    Comecei a “estocar” incandescentes ainda boas (traduzindo: guardar as que estão sendo trocadas em casa por compactas/led). Já juntei meia duzia :tooth:

    Aliás são duas porcarias que não duram, já perdi duas LED que pararam de funcionar do nada. CFL nem se fala :X:

    Comentários de Carlos Andrade: 46

    • Luciano disse:
      Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 38.0 - Windows Windows XP

      Eu também tenho um estoque razoável de incandescentes novas! Fui comprando aos poucos conforme ia achando. }:D

      E bem lembrado, eu nem toco neste ponto no post, a durabilidade dessas CFL (e possivelmente LED) piorou muito! Tenho na garagem aqui da oficina até hoje uma CFL da G&E que comprei naquele apagão de 2009 e ainda está funcionando sem qualquer problema, em compensação já teve CFL nova que comprei e explodiu ao ligar! :-z



      Comentários de Luciano: 479

      • Guilherme disse:
        Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 52.0 - Windows Windows 7

        Pois é Luciano, é lamentável a extinção das lâmpadas incandescentes, há tempos estou a procura de algumas de 100 a 150W para fazer lâmpadas em série e não acho em lugar nenhum. Seja como for, você faz bem em estocar lâmpadas incandescentes.

        Comentários de Guilherme: 6

        • Luciano disse:
          Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 45.0 - Windows Windows XP

          Se é pra fazer lâmpada série, então você ainda está salvo. Procure em supermercados menores, pois estão vendendo incandescente, com bulbo halógeno dentro. E esta ainda está sendo permitido e não sei até quando, foi o jeitinho que arrumaram pra continuar vendendo. O preço aumentou, mas ainda vale a pela pra esses casos.

          Alternativamente, como é para lâmpada série, você pode utilizar halogenas do tipo palito, essas não foram proibidas. Você pode comprar o soquete e parafusar tudo em uma tábua. E tem a vantagem que vai ficar muito mais compacto que se fosse com incandescente de bulbo!

          Comentários de Luciano: 479

          • Fábio disse:
            Usando Google Chrome Google Chrome 58.0.3029.110 - Windows Windows 7

            Será que ficaria boa uma configuração com um a lâmpada incandescente dessas de geladeira em paralelo com uma resistência de aquecimento de 100 ou 150W (dessas usadas em painéis – aquelas que vem “prontas” com aquela grelha de proteção)?

            Comentários de Fábio: 4

          • Luciano disse:
            Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 45.0 - Windows Windows XP

            Hmmm deve funcionar se for apenas pra detectar curto-circuito dos brabos, pois em coisa mais “suave” como a resistência de aquecimento terá um valor em ohms muito menor, vai sobrar pouca coisa pra lampada de geladeira.

            Continuo afirmando, se é pra lampada série, parta para as halógenas em bulbo E27bque essas ainda tem mas não sabemos por quanto tempo, logo, se achar conveniente, faça um estoquezinho enquanto tem.

            Comentários de Luciano: 479

          • Marcio disse:
            Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 55.0 - Ubuntu Linux Ubuntu Linux

            Olá Luciano tudo bem? Saberia informar se tem como testar uma fonte de 110v apenas (51 watts ligado no estabilizador entrada 220v e saída 110v em uma lâmpada de série 220v (tensão rede) de 60 watts? No caso o estabilizador ficaria ligado no circuito da lâmpada série. Ou teria que conseguir uma lâmpada de 110v e ligar o circuito da lâmpada série na saída do estabilizador 110v? Agradeço desde já.

            Comentários de Marcio: 12

          • Luciano disse:
            Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 45.0 - Windows Windows XP

            A lâmpada de carga sempre deve ficar o mais próximo possível da carga, então teria que arrumar uma lâmpada de 110V mesmo e coloca-la na saída do estabilizador.

            Comentários de Luciano: 479

  2. AnalogicoAteMorrer disse:
    Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 50.0 - Windows Windows 7

    Cara, algo semelhante aconteceu com o surgimento do CD, lá pelo início dos anos 1990, lembro que o preço do vinyl era por volta de Cz$ 4000,00 / Cz$ 5000,00, aí quando chegaram os cds o preço era de Cz$ 15000,00, os importados chegando até mesmo aos Cz$ 20000,00 ! Também tinha esse conversa de que com a popularização o preço abaixaria, só que não… .:lol:.

    Comentário de AnalogicoAteMorrer: 1

  3. Vinicius MS disse:
    Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 51.0 - Windows Windows 7

    Uma coisa que sempre me incomodou nas fluorescentes compactas é a falta de modularidade: 90% das lâmpadas queimadas na verdade só queimou o bulbo, enquanto o reator está em perfeito estado. Porém como o kit é integrado, acabamos tendo que descartar todo ele, a não ser que se faça uma adaptação com um conector de lâmpada PL 4 pinos, que ainda penso em fazer.
    Sobre as halógenas, creio que não seja vantagem: são bem mais caras, com eficiência pouca coisa maior e a maioria das que vejo têm a mesma vida útil das incandescentes comuns. Se durassem pelo menos 80%, talvez compensasse.

    Comentários de Vinicius MS: 8

    • Vinicius MS disse:
      Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 51.0 - Windows Windows 7

      *Se durassem pelo menos 80% a mais, talvez compensasse.

      Comentários de Vinicius MS: 8

    • Luciano disse:
      Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 38.0 - Windows Windows XP

      Pois é… essa falta de modularidade é um verdadeiro desperdício. Mas tem que levar em consideração também que os reatores usados nessas lâmpadas em sua grande maioria é uma porcaria, esquentam demais e acabam explodindo. Ontem mesmo consertei uma velha G&E de 22W aqui, que o reator explodiu. O bulbo ainda estava perfeito, e como é uma lâmpada com temperatura de cor de 4000K, coisa difícil de achar hoje em dia, pois só tem de 2700K (amarelo barraco deprê) ou 6500K (branco farmácia), acabei consertando.

      Fiz o transplante do reator de uma Philips de 20W que estragou o bulbo, e passei esse reator para a G&E. E está funcionando.

      Mas isso tudo é pra dizer que… se houvesse essa modularidade, esse reator tinha que ser muito, muito melhor.

      O problema fica por conta que as lâmpadas com soquete PL, são difíceis de encontrar e são muito caras.

      Porém já existiu e não sei se existe mais, um reator convencional (magnético) para lâmpada PL de 2 pinos, com soquete E27. Eu já tive um.

      Comentários de Luciano: 479

  4. Vinicius MS disse:
    Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 53.0 - Windows Windows 7

    Se eu te contar que esses dias eu testei um reator de fluorescente compacta de 34W em uma fluorescente T5 de 28W, justamente de 4000K? Daqui a alguns dias chega o reator específico que encomendei.

    Comentários de Vinicius MS: 8

    • Luciano disse:
      Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 45.0 - Windows Windows XP

      Pior que essa gambiarra funciona bem. :-P Eu tenho uma gambiarra desse jeito, com uma fluorescente comum de 20W num corredor aqui de casa, fiz provisório e está funcionando até hoje, isso tem uns 4 anos.

      A fluorescente inclusive é uma que abriu um dos filamentos, fiz um jumper por fora e estou usando com um filamento só e um reator eletrônico retirado de uma CFL de 25W Osram.

      E você tocou num ponto que eu não estou entendendo o real motivo, o afinamento das fluorescente tubulares. Antigamente era tudo o que chamam hoje de T12, dai começaram a aparecer as T10. Hoje só acha T10, as T12 viraram raridade, as últimas que consegui comprar foram umas Philips inclusive importadas, Americanas, coisa fina! :good:

      E veja, você está com uma T5, quando eu olho pra uma lâmpada dessa, eu tenho a impressão que se segurar ela por uma das pontas apenes, ela quebra no meio pelo próprio peso. :-z

      Comentários de Luciano: 479

      • Vinicius MS disse:
        Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 57.0 - Windows Windows 7

        O afinamento das lâmpadas tem por objetivo reduzir a luz perdida dentro da luminária:
        http://construindodecor.com.br/wp-content/uploads/2014/07/lampadas-menor-diametro.jpg
        Dessa forma:
        – maior rendimento luminoso para a mesma luminária; ou
        – luminária mais compacta para o mesmo rendimento luminoso;
        Um detalhe sobre as T5: utilizam base bipino miniatura ou G5, enquanto as T8, T10 e T12 utilizam bipino médio ou G13. Além disso, as T5 são 5 cm mais curtas. Por que mais curtas? Simples com um par de adaptadores de G5 para G13 elas passam a ter o mesmo comprimento das outras e você pode utilizá-las em luminárias antigas, mudando “apenas” o reator. :wink:
        https://www.watt24.com/out/pictures/master/product/1/t8_t5_adapater_leuchtstofflampe.jpg
        https://image.ec21.com/image/suntop001/OF0010314430_1/Sell_t8_to_t5_adaptor.jpg
        Pena que no Brasil não se encontrem esses adaptadores. 8|(
        O reator próprio que instalei para a T5 na minha sala de estudo é do tipo eletrônico, porém ele dá uma preaquecida nos eletrodos da lâmpada, lembrando um pouco o sistema magnético com starter. em tese deve prolongar a vida útil da lâmpada.

        Comentários de Vinicius MS: 8

        • Luciano disse:
          Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 45.0 - Windows Windows XP

          Interessante, mas isso só aplica-se a essas calhas hiper fechadas, compactas, etc… eu como só uso as calhas comuns de lâmpada exposta, a T12 acaba se saindo menor, por ter uma área de material fluorescente menor.

          Pode ter seu lado bom, mas eu notei que lâmpadas muito finas são bem mais caras que as T10 ou T12 (quando acha).

          Os dois maiores problemas dos reatores eletrônicos são: Interferências em rádio e baixa durabilidade tanto da lâmpada quanto do reator, e ambos são inerente de projetos porcos ou de baixíssimo custo. Eu tenho alguns reatores eletrônicos Philips que peguei no ferro-velho aqui, que ainda quero testar, pra ver se são realmente melhores. Mas eu ainda estou pra ver reator eletrônico fazer uma lâmpada dessas durar como os magnéticos. Já tive lâmpada que durou quase 10 anos!

          Comentários de Luciano: 479

  5. Vinicius MS disse:
    Usando Mozilla Firefox Mozilla Firefox 58.0 - Windows 10

    As T5 custam mais caro em grande parte por utilizarem pó fluorescente trifósforo, que em relação ao halofosfato comum apresenta maiores índice de reprodução de cor e eficiência luminosa.
    Porém a tecnologia trifósforo foi desenvolvida na década de 1970, visando sua utilização nos formatos mais antigos.

    Comentários de Vinicius MS: 8

Deixe uma resposta para Carlos Andrade Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

:D :tooth: :mrgreen: :-P :-)) (lol) .:lol:. o:-) 8-) :-$ :-| }:D :-/ -_- |-/ :X.: =X 8|( :xxx :furious: :-o* X-P 8x :censored: *~O more »
 

1) Os comentários são moderados.
2) Comentários que não sejam referentes ao assunto do post serão excluídos.
3) Eu posso editar seu comentário antes de publicar, se o achar necessário.
  Melhor visualizado a
1024 x 768 True color
Proudly powered by WordPress. Theme developed with WordPress Theme Generator.
E altamente gambiarrado por mim mesmo :)
Copyright © 2010 by Crash Computer. All rights reserved.
Switch to mobile version